Como patentear uma ideia de startup: quero proteger minha grande ideia

Por: Carol Kuviatkoski . Publicado em:20/01/2020

Empreendedorismo

Introdução

Muitos empreendedores de primeira viagem têm medo de compartilhar sua ideia de negócio com as pessoas. Isso porque eles possuem receio de que sejam copiados e percam uma grande oportunidade de serem milionários. Neste artigo, vamos te mostrar como patentear uma ideia de startup, e proteger uma grande ideia verdadeiramente: construindo vantagem competitiva frente aos seus concorrentes.

Você pode saber mais dicas sobre como proteger sua ideia de startup no vídeo abaixo:

Porque patentear uma ideia?

É muito comum que um empreendedor que teve uma grande ideia fique preocupado ao compartilhá-la. Para acabar com o medo de ter o projeto roubado, muitos pensam em registrar uma patente. Esta é uma concessão pública, que garante ao criador a exclusividade de comercialização da sua ideia. 

Mas, poucos são os casos onde é possível conseguir a patente. Isso porque não é permitido patentear uma ideia em si, mas apenas um projeto novo e que possa ser industrializado. Por isso, na maior parte das vezes, para proteger sua ideia o melhor é colocar a mão na massa e executar o empreendimento.

Ou seja, em vez de tentar patentear uma ideia, lançar seu negócio antes dos concorrentes pode te dar mais segurança. Afinal, várias pessoas têm grandes ideias, mas poucas realmente as colocam em prática.

Porque não patentear software?

O processo de patente é mais simples para você que vai lançar um produto físico, seja envolvendo tecnologia ou não. Porém, se deseja patentear um software, é preciso tomar alguns cuidados.

Para realizar essa patente, você deve registrar o código fonte, mas isso não gera muita segurança para o empreendedor. Afinal, se alguém alterar apenas uma linha do código, este já é considerado um software diferente, e patentear não te dá nenhum direito sobre ele.  Além disso, qualquer pessoa pode alterar a linguagem da codificação do seu software, já que existem várias de fácil acesso. 

Com todos esses riscos, não há grandes vantagens em investir tempo e energia para obter uma patente. Resumindo, patentear um software é um processo possível, mas não é aconselhável. O melhor é ganhar vantagem competitiva no mercado, lançando a ideia de forma rápida, antes dos seus concorrentes, mas sempre mantendo a qualidade.

Como proteger minha ideia de startup?

Como já mencionamos acima, patentear uma ideia não é sempre a melhor forma de proteger o seu projeto de startup. Esse processo, além de exigir esforço e tempo, pode não garantir a maior segurança para o empreendedor. Por isso, separamos abaixo algumas dicas sobre como proteger sua ideia de forma mais eficiente. 

Registro de Marca e Nome no INPI

O Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) é um órgão federal que serve para regular as normas da propriedade industrial no Brasil. Entre os serviços do INPI, estão os registros de marcas, as concessões de patentes e as averbações de contratos de franquia.

Apesar de não proteger uma ideia em si, principalmente em relação a softwares, é bastante recomendado que todas as empresas façam o registro de marca e nome no Instituto. Assim, o logotipo e o nome do seu negócio ficam protegidos. 

Ao criar um novo negócio, isso é fundamental porque garante a exclusividade do nome e logo escolhidos, além de resguardar o empreendedor legalmente no caso de possíveis cópias. Além disso, na hora de realizar o registro, é importante checar se já não há outros empreendimentos com o mesmo nome que você deseja no seu segmento. 

Para submeter o registro no INPI, o empreendedor pode entrar com o pedido por conta própria ou então contratar a assessoria de algum advogado para apoiá-lo.

Contar ideia para parceiros-chave

Pode parecer estranho, mas contar a sua ideia para parceiros-chave também é uma forma de protegê-la. Logicamente, você não precisa compartilhar seus planos com qualquer pessoa, mas trocar experiências com alguns profissionais pode ser estratégico para o sucesso do seu negócio. 

Por exemplo, converse com quem já está atuando no seu mercado e possua conhecimento no assunto. Esse tipo de parceiro tem o potencial de trazer muitos insights relevantes e úteis para a sua startup. 

Além disso, converse com possíveis clientes do seu empreendimento. Isso pode te auxiliar a coletar feedbacks para aprimorar a sua ideia, e definir melhor a sua persona. Ter contato com o público aumenta muito as suas chances de sucesso, pois permite que você perceba se a ideia realmente tem um bom mercado para atender.

Outra sugestão é conversar com possíveis investidores e parceiros. Ainda, você pode trocar ideias com profissionais que compreendem bem as áreas mais importantes da sua futura startup, como tecnologia e marketing.

Ou seja, a ideia é escolher bem parceiros-chave nos quais você possa confiar. Se achar necessário, você pode até criar um termo de confidencialidade para eles. Esse networking com certeza vai te ajudar muito a tirar sua ideia do papel e garantir competitividade em relação a outras startups. 

Desenhar um Business Model Canvas

Se você já tem uma ideia de negócio, um primeiro passo para protegê-la e defini-la é desenhar um Business Model Canvas (BMC). Essa é uma ferramenta que permite sintetizar o modelo de negócios da sua startup.

Em apenas uma página, você consegue visualizar seu nicho de mercado, proposta de valor, as personas dos seus clientes e vendedores, além de outros elementos fundamentais. 

Desenhar o seu modelo de negócios com o Canvas ajuda a tornar seus planos mais claros e objetivos, o que facilita e agiliza a abertura da sua startup. Essa ferramenta também serve para que o seu modelo de negócios fique bem explicado para a sua equipe.

E para te ajudar nesse processo, o Ideia no Ar criou um Canvas específico para marketplaces, que você pode acessar clicando aqui.

Criar um MVP e testar rapidamente

Outra maneira de proteger a sua ideia de startup é lançar um MVP, que significa Produto Viável Mínimo. Ou seja, trata-se de colocar em prática uma versão de teste do produto ou serviço, para que você empreendedor possa validar se a ideia deu certo ou não. 

Quem atua no mundo do empreendedorismo sabe que muitas vezes surgem várias ideias, mas não é possível ter certeza do sucesso delas até colocar a mão na massa. Nessa lógica, o MVP é essencial, principalmente para quem tem uma ideia de startup. Esse teste evita o desperdício de energia e dinheiro em projetos que não vão atingir os resultados desejados. 

Algumas formas de lançar o seu MVP são criá-lo em uma landing page ou em site gratuito, em plataformas como Wix e WordPress. Nesse momento, você deve coletar feedbacks e analisar se o projeto realmente atende o seu público. Outra dica é já coletar dados e realizar uma pré-inscrição das pessoas interessadas. 

Melhoria Contínua

Depois de lançar o Produto Viável Mínimo, o empreendedor precisa continuar inovando e aprimorando a ideia. Se o MVP deu bons resultados, você pode aperfeiçoá-lo levando em conta a opinião dos clientes.

Caso alguns feedbacks tenham sido negativos, uma sugestão é pivotar, ou seja, testar novas hipóteses, mas mantendo a base da sua ideia inicial. Em alguns casos, pode ser necessário realizar grandes mudanças e até alterar o modelo de negócios. 

O importante é ter um mindset de que você está empreendendo uma startup. Dessa forma, é fundamental testar rápido para aprender rápido e acertar rápido.

Conclusão 

Quem tem uma ideia de startup e quer começar a empreender geralmente têm receio de compartilhar seus planos. Esse medo acontece pela possibilidade de alguém copiar o projeto. 

Por isso, muitas pessoas pensam em patentear uma ideia. Mas, esse processo pode ser pouco vantajoso e não garantir a segurança desejada pelo empreendedor. No caso de patentear softwares, as vantagens são ainda menores, pois uma pequena alteração no código fonte feita por um concorrente, já o diferencia e impede a proteção. 

Dessa maneira, há uma decisão mais vantajosa para proteger sua startup, em vez de patentear uma ideia. O melhor é colocá-la em prática e largar na frente de seus concorrentes. Para isso, alguns passos são importantes, como: registrar a marca e o nome no INPI, desenhar o modelo de negócios, lançar uma versão de teste e sempre continuar inovando.  

Para te apoiar no lançamento do seu empreendimento, o Ideia no Ar desenvolveu um Kit de Validação de Startups, que você pode acessar aqui. Com ele, você pode iniciar seu negócio do jeito certo e com as ferramentas que você precisa. 

consultoria gratuita sobre marketplace wordpress ou magento
Carol Kuviatkoski

Publicado por:

Carol Kuviatkoski

Veja também

Acompanhe nossos materiais e conteúdos, para aprender tudo sobre como criar seu próprio marketplace de nicho, seja para escalar sua empresa ou monetizar sua base de vendedores e clientes.